5 de junho de 2017

REFUTANDO TESTEMUNHAS DE JEOVÁ (3): Explicando o termo “vós sois deuses” em Salmo 82:6 e João 10:34.

Vejamos o presente texto:
“Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito na vossa lei: Eu disse: Sois deuses? Pois, se a lei chamou deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida, e a Escritura não pode ser anulada, aquele a quem o Pai santificou, e enviou ao mundo, vós dizeis: Blasfemas, porque disse: Sou Filho de Deus?” João 10:34-36
            O texto acima está em conexão com o texto de Salmos 82.6, que diz:
“Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo.”
A palavra usada para "deuses" em Salmos 82:6 é elohim. Ela pode significar Deus, deuses, anjos ou juízes (Strong, 430). Leiamos os versos anteriores juntamente com o contexto:
“Deus está na congregação dos poderosos; julga no meio dos deuses.
Até quando julgareis injustamente, e aceitareis as pessoas dos ímpios? (Selá.)
Fazei justiça ao pobre e ao órfão; justificai o aflito e o necessitado.
Livrai o pobre e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios.
Eles não conhecem, nem entendem; andam em trevas; todos os fundamentos da terra vacilam.
Eu disse: Vós sois deuses, e todos vós filhos do Altíssimo.
Todavia morrereis como homens, e caireis como qualquer dos príncipes.
Levanta-te, ó Deus, julga a terra, pois tu possuis todas as nações.”
Salmos 82:1-8
O primeiro versículo diz: "Deus está na congregação dos poderosos; julga no meio dos deuses." Os próximos três versículos deixam bem claro que a palavra "deuses" refere-se a magistrados, juízes e outras pessoas que ocupam posições de autoridade e domínio. Chamar um ser humano em posição de autoridade de "deus" indica três coisas: 1) ele tem autoridade sobre os outros seres humanos; 2) o poder que ele exerce como uma autoridade civil deve ser temido; 3) Ele obtém o seu poder e autoridade de Deus, o qual é retratado como julgando toda a terra no versículo 8.
No contexto de Salmos 82, os deuses são juízes corruptos, (Até quando julgareis injustamente, e aceitareis as pessoas dos ímpios? Fazei justiça ao pobre e ao órfão; justificai o aflito e o necessitado.) que recebem repreensão de Deus, (Livrai o pobre e o necessitado; tirai-os das mãos dos ímpios).
O RACIOCÍNIO JEOVISTA
As Testemunhas de Jeová usam esses textos para dizer que Jesus é um deus menor, equivalente aos juízes de Salmos 82.6. Para eles, o fato de Jesus ter alegado que os juízes foram chamados de deuses, davam a ele o direito de ser chamado de deus, e deduzindo daí que Jesus teria se feito igual e se colocado na mesma altura desses homens.
O PROBLEMA JEOVISTA
O grande problema com essa tese, está exatamente na crença das Testemunhas de Jeová com relação a pessoa de Cristo e também com relação à sua cosmovisão em relação ao teísmo. Testemunhas de Jeová são Henoteístas, elas acreditam que existe Jeová, que é o Deus maior, e outros deuses menores, no qual Jesus seria um deles, no entanto, só Jeová pode ser adorado. A partir daí vamos aos problemas:
1 – Os Juízes foram chamados de deuses, eles não eram deuses de fato, foram apenas chamados, como Jesus diz: “Pois, se a lei CHAMOU deuses àqueles a quem a palavra de Deus foi dirigida assim”, repetindo, eles foram apenas chamados de deuses. Assim como Moisés foi chamado de deus: "Eis que te tenho posto por deus sobre Faraó, e Arão, teu irmão, será o teu profeta" (Êxodo 7:1). Isso de forma alguma torna Moisés um deus de fato, mas apenas alguém que foi chamado de deus.
2 – Jesus não poderia se fazer igual à juízes corruptos, pois Jesus não tem e não teve pecado. E segundo a própria crença Jeovista, Jesus não foi somente chamado de deus, ele é de fato um deus, assim como anjos, demônios e até o próprio Satanás é um deus, eles são deuses verdadeiros, não deuses falsos, embora não possam ser adorados, ou seja, as Testemunhas de Jeová cometem uma falácia de “falsa equivalência”, ao comparar Cristo com juízes corruptos que não são deuses de verdade, eles são chamados de deuses, mas são homens comuns. Na verdade, é impossível para um homem comum ser um deus de fato, já que essa foi a primeira mentira da Serpente, que disse: "Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal" (Gênesis 3:5), dizer que existe um homem comum que seja um deus de fato, é o mesmo que dizer que a Serpente disse a verdade em sua promessa, portanto, as Testemunhas de Jeová ao colocarem Jesus no mesmo nível dos juízes corruptos, corroboram com a doutrina da Serpente, além de rebaixar o Filho de Deus ao nível de corrupto e ser humano comum, é um absurdo! 
3 – A medida que para as próprias Testemunhas de Jeová, Jesus é de fato um deus, é impossível que ele esteja no mesmo nível de juízes corruptos e de humanos comuns que foram somente chamados de deuses, mas não eram deuses de fato, o nome disso é “falsa equivalncia”, e como é falacioso, então é flagrantemente falso.
4 -  A própria literatura Jeovista diz que Jesus é sem igual, vejam o que diz o Raciocínio à Base das Escrituras, ed 2009, pág 211:
"O próprio Jesus ensinou que era o filho SEM IGUAL de Deus (Jo 10.36; Mt 16.15-17)" Mas se o filho tinha uma divindade sem igual, como pode ele ter se comparado em igualdade à juízes humanos? Isso é impossível até para um Jeovista, sendo ele sincero com suas convicções. Uma coisa é ser Deus unigênito (Jo 1.18), outra coisa é ser CHAMADO de deus, devido a palavra que lhe foi chegada. Jesus argumenta do menor para o maior, do abstrato para o real, do "chamado" para o essencial, finito para infinito. Jesus usa um jogo de palavras profundo, que os fariseus não conseguiriam entender, e infelizmente, alguns dos que se dizem cristãos, também não entendem a profundidade das palavras do Cristo. 
O QUE JESUS DE FATO QUIS DIZER?
Examinando a passagem, Jesus tinha acabado de clamar que era o Filho de Deus (João 10:25-30). Em retorno, os judeus incrédulos acusaram Jesus de blasfêmia, uma vez que Ele alegou ser Deus (versículo 33). Jesus então cita Salmo 82:6, lembrando os judeus de que a Lei refere-se a homens comuns - embora homens de autoridade e prestígio - como "deuses". O objetivo de Jesus é este: vocês me acusam de blasfêmia por que eu digo que sou "Filho de Deus"; mas sua própria Escritura chama juízes de deuses. Se aqueles juízes, só porque ocupam uma posição de autoridade podem ser chamados "deuses", quanto mais deve ser assim o Filho Unigênito do Pai (versículos 34-36)? Essa é a explicação mais plausível, haja vista que Jesus jamais seria igual a um juíz corrupto, jamais seria igual a um homem comum, e Jesus, mesmo na crença Jeovista, é um deus de fato, e os juízes não são deuses, foram apenas chamados de deuses, pois humanos não podem ser deus, a não ser que queira-se aceitar que a Serpente tinha razão lá no Éden.
A própria literatura Jeovista diz que Jesus é sem igual, vejam o que diz o Raciocínio à Base das Escrituras, ed 2009, pág 211:

"O próprio Jesus ensinou que era o filho SEM IGUAL de Deus (Jo 10.36; Mt 16.15-17)" Mas se o filho tinha uma divindade sem igual, como pode ele ter se comparado em igualdade à juízes humanos? Isso é impossível até para um Jeovista, sendo ele sincero com suas convicções. Uma coisa é ser Deus unigênito (Jo 1.18), outra coisa é ser CHAMADO de deus, devido a palavra que lhe foi chegada. Jesus argumenta do menor para o maior, do abstrato para o real, do "chamado" para o essencial, finito para infinito. Jesus usa um jogo de palavras profundo, que os fariseus não conseguiriam entender, e infelizmente, alguns dos que se dizem cristãos, também não entendem a profundidade das palavras do Cristo. 
JESUS DE FATO FALOU QUE ERA DEUS?
É intrigante porque Jesus aparentemente em nenhuma hora fala que era Deus de fato, mas mesmo assim os Judeus o quiseram matar por blasfêmia, pois eles entenderam que Jesus alegou que era o próprio Deus, por que os judeus entenderam isso?. Isso é fácil de explicar.
O idioma hebraico só tem 7 mil palavras, para se ter noção de como isso é pouco, o grego tem cerca de 250 mil palavras. Então no hebraico, não existem adjetivos, se uma pessoa quer adjetivar alguém, ele diz que ela é filha daquilo que ela quer tornar alvo do seu adjetivo, por exemplo: se eu quero dizer que fulano é sábio, eu digo que ele é “filho da sabedoria”, se quero dizer que ele era feio, então eu digo que ele é “filho da feiura”, assim, quando Jesus quer dizer que ele é divino e da mesma natureza do Pai, ele diz que é “Filho de Deus”.  Essa expressão não quer dizer, como afirmam alguns, que Jesus foi criado pelo Pai em um tempo finito atrás, como um primeiro filho, quem fala isso não conhece nada do hebraico e da cultura judaica, na verdade, o termo “Filho de Deus”, quer dizer que Jesus é divino e da mesma natureza do Pai, isso foi imediatamente reconhecido pelos judeus, que o acusaram de blasfêmia, por se autodenominar Deus. 
Não encontramos a palavra MONOGENES, em nenhum lugar na Bíblia sendo aplicado ao Verbo antes da sua encarnação. Notem que somente após a encarnação de Cristo que Deus disse: "Este é o meu Filho" (Conf Mt 17.5, Mc 1.11; 9.7, Lc 9.35, 2 Pe 1.17 e Hb 1.5). Conquanto "Jesus" fosse o "filho eterno de Deus" em antecipação a sua vinda (devido ao programa de Redenção pré-estabelecido na eternidade) foi em sua encarnação que sua filiação foi declarada como fato (1 Cro 22.10, Mt 1.20, 21). Assim, Jesus é Filho de Deus por ter sido GERADO, não por ter sido CRIADO, por Deus. Ele foi gerado pelo ES em Maria se tornando Filho, mas nunca foi criado porque era o Verbo eterno, a saber, o próprio Deus. 
A reação dos judeus à essa expressão idiomática, mostra que Jesus de fato falou que era Deus, e por isso, se torna claro e patente, que a doutrina Jeovista de que Jesus não é Deus é falsa, e a doutrina trinitariana é verdadeira, ao afirmar que Jesus e o Pai são o mesmo Deus.

Outro ponto é que o versículo de Salmos 82.6 já mostra os homens sendo chamados de deuses, assim como em outras passagens, então não era blasfêmia que Jesus se igualasse a um deus qualquer, mas se igualasse ao próprio Deus! Assim, para os judeus quererem apedrejar o Mestre, Jesus de fato teria se igualado a Deus e por isso o motivo da blasfêmia.  

 Por Francisco Tourinho 

16 comentários:

Fernando Silva disse...

Ótimo artigo,tourinho no vídeo "porque jesus é deus e não Deus" o criador do argumento ainda teve a capacidade de falar que a expressão "filho de Deus" de Jesus em joão 10:36 equivale a expressão "filhos do altíssimo" de salmos 82:6 tudo pra defender o argumento dele.

Francisco Tourinho disse...

" o criador do argumento ainda teve a capacidade de falar que a expressão "filho de Deus" de Jesus em joão 10:36 equivale a expressão "filhos do altíssimo" de salmos 82:6 tudo pra defender o argumento dele."

Então eles colocam cristo no mesmo patamar dos juízes corruptos de salmos 82? kkkkkk Depois não querem serem chamados de seita.

Tiago Lima disse...

As Testemunhas de Jeová não colocam Jesus no mesmo patamar de Juízes corruptos. Vocês estão enganados. Elas apenas querem explicar que o termo 'Deus' é um título. Se refere a alguém com certo poder,certa autoridade. Como está explicado no texto acima.
Mas ao contrário do que vocês dizem, as escrituras deixam claro que Jesus e Jeová não são a mesma pessoa. Eles são duas pessoas distintas.
Exemplos. Em 1° Coríntios diz que Jeová sujeitou todas as coisas a seu filho, exceto ele mesmo. Isso se porque Jesus é o meio de resgate da humanidade, safricio perfeito. A humanidade não está mais em união direta com Jeová porque ela foi 'vendida' ao pecado quando Adão pecou. Todos os descendentes de Adao, inclusive nos, herdamos o pecado. Jesus com seu safricio a comprou de volta. Ele é o caminho que leva a Jeová por isso. Ninguém pode se achegar a Jeová se não for por meio dele.Quando a humanidade for restaurada a perfeição novamente então a humanidade poderá está em união direta com Jeová. Cristo fará isso. A partir daí então, quando ele tiver feito tudo que for necessário ele mesmo se sujeitará ao Pai dele.
Como pode alguém se sujeitar a uma pessoa e ser essa mesma pessoa?
Jesus e Jeová não são a mesma pessoa.
Em Atos 7:55,56 lemos que Estevam viu Jesus a direita de Deus. Como pode alguém está ao lado de uma pessoa e ser essa mesma pessoa? As Escrituras deixam claro a relação do filho com o Pai. Elas não ensinam que sejam a mesma pessoa.

Francisco Tourinho disse...

"As Testemunhas de Jeová não colocam Jesus no mesmo patamar de Juízes corruptos. Vocês estão enganados. Elas apenas querem explicar que o termo 'Deus' é um título. Se refere a alguém com certo poder,certa autoridade. Como está explicado no texto acima."

Não amigo, as Testemunhas de Jeová acreditam que de fato existem outros deuses além de Jeová, deus não é um título para vcs, é a natureza de seres superiores, e de todos esses deuses o maior seria Javé, que vcs identificam unicamente com o Pai.

"Mas ao contrário do que vocês dizem, as escrituras deixam claro que Jesus e Jeová não são a mesma pessoa. Eles são duas pessoas distintas"

Errado, a bíblia diz que Jesus e o Pai são pessoas distintas, mas os dois são o mesmo Deus.

"Em 1° Coríntios diz que Jeová sujeitou todas as coisas a seu filho, exceto ele mesmo."

Errado, o texto diz que o Pai sujeitou todas as coisas ao filho, a palavra Jeová não existe no Novo Testamento, apenas de forma abreviada na palavra Hallelu - yah. Então o texto diz que o Pai sujeitou todas as coisas ao filho.

"Isso se porque Jesus é o meio de resgate da humanidade, safricio perfeito."

Se Jesus não fosse Deus, ele não seria perfeito. Os anjos não são perfeitos, Jesus mesmo falou que só há um que é bom, que é Deus. Para Jesus ser um sacrifício perfeito, ele tinha que ser o próprio Deus, que derramou seu próprio sangue (At 20.28).

"Como pode alguém se sujeitar a uma pessoa e ser essa mesma pessoa? "

A pergunta não faz sentido, pq Jesus e o Pai não são a mesma pessoa, eles são o mesmo Deus. Jesus tem igualdade com o Pai em ontologia, mas é inferior em hierarquia. Igual um marido que é superior em hierarquia a uma mulher, mas é igual a ela em natureza, substancia, essência, ou seja em ontologia. Ninguém pode dizer que uma mulher é menos ser humano que um homem, eles são iguais em natureza, mas diferentes em ofício, e os dois quando se casam, tornam-se uma só carne e Paulo diz que isso é um grande mistério. Jesus é o Pai revelado, o Pai, é o Deus inacessível, ninguém pode ver o Pai, mas para o Pai se revelar ao mundo, ele se faz de outra coisa, como anjo (Gn 18) ou homem (Jesus). Isso não quer dizer que Deus seja homem, isso quer dizer que ele se fez homem. Deus para se revelar tem que usar uma máscara, é como se a glória dele fosse tão grande que ele tivesse que usar um lençol para se esconder, então Jesus é esse Javé revelado, é o Pai revelado, eles são distintos, mas são o mesmo Deus.

"Em Atos 7:55,56 lemos que Estevam viu Jesus a direita de Deus. Como pode alguém está ao lado de uma pessoa e ser essa mesma pessoa? As Escrituras deixam claro a relação do filho com o Pai. Elas não ensinam que sejam a mesma pessoa."

A pergunta mais uma vez não procede, pois os trinitaristas não acreditam que o Pai e o filho sejam a mesma pessoa.

Adeilson Teixeira disse...

Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.
João 14:28

Jesus destruiu a idéia de uma deidade trina. Jesus wins

Adeilson Teixeira disse...

Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.
João 14:28

Jesus destruiu a idéia de uma deidade trina. Jesus wins

Anônimo disse...

Aprecio sua lógica, "embora bem confusa". Principalmente no que tange a comparação entre a essência, natureza do homem e mulher. Se seguissemos sua lógica, todos os humanos seriam apenas um, afinal temos a mesma essência humana. Todas as criaturas celestiais, incluindo, Jeová, Jesus, anjos... seriam também apenas um, afinal também têm a mesma essência, natureza, ou vc discorda?
O mais interessante é que você consegui dar a sua interpretação a um texto bem claro como 1 coríntios 15:24-29, por isso "parabéns". Para raciocinar: Suponhamos que você trabalhe em uma grande empresa e tenha um cargo bem elevado, o mais importante na empresa, deixando você abaixo apenas do dono da empresa, aquele cujo o qual você ainda é sujeito, ou subordinado, lógico. Será que por ser da mesma natureza humana, faria de você o dono da empresa? Vocês dois seriam um? Rsrsrs...Embora o nome de Jeová não apareça em 1 coríntios 15, Jesus foi bem, mais bem claro em afirmar que tinha alguém Superior a ele:"A seguir, o fim, quando ele entregar o Reino ao seu Deus e Pai, depois de ter reduzido a nada todo governo, toda autoridade e poder" 1 Cor 15:24.Em hipótese alguma Jesus diz ser esse mesmo Deus a quem ele entregará o Reino, seu "Deus e Pai".

Francisco Tourinho disse...

"Ouvistes que eu vos disse: Vou, e venho para vós. Se me amásseis, certamente exultaríeis porque eu disse: Vou para o Pai; porque meu Pai é maior do que eu.
João 14:28

Jesus destruiu a idéia de uma deidade trina. Jesus wins"

Nenhum trinitarista, que saiba o que diz vai dizer que Jesus é maior que o Pai, nem vai dizer que o Pai e Jesus são a mesma pessoa, o que o trinitarista diz é que eles são o mesmo Deus. O Pai é maior que Jesus em ofício, mas não é em Ser, como um homem que é maior que a mulher em ofício, mas é igual a ela em Ser, entende? Por exemplo o apóstolo Paulo diz que todos os homens são iguais em Cristo: "Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." Gl 2.28 Note que homem e mulher são iguais, mas o mesmo Paulo que diz que homem e mulher são iguais, diz que a mulher deve ser submissa ao homem -"As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor," Ef 5.22, aí vc pergunta, a mulher é menor que o homem em essência, natureza e em Ser, ou seja, ela é menos ser humano que o homem pq tem que ser submissa? Negativo, a bíblia já responde a isso em Gálatas 2.28. O problema de quando falamos de Deus, é que a bíblia é clara ao dizer que só há um Deus, logo, nada pode ser igual a Deus, não existe Deus fora dele, a não ser ídolos criados por homens, portanto, Jesus sendo Deus e compartilhando de atributos que só Deus tem, como a eternidade (não teve começo, nem fim) a única solução lógica é que Deus subsiste em duas pessoas (falei duas pq não estamos falando em ES aqui), se o Pai é Deus e Jesus é Deus e só há um único Deus, então o Pai e Jesus são o único Deus, só há uma saída lógica para isso. Jesus e bíblia wins! Testemunhas de Jeová - looser!

Francisco Tourinho disse...

"Aprecio sua lógica, "embora bem confusa". Principalmente no que tange a comparação entre a essência, natureza do homem e mulher. Se seguissemos sua lógica, todos os humanos seriam apenas um, afinal temos a mesma essência humana. Todas as criaturas celestiais, incluindo, Jeová, Jesus, anjos... seriam também apenas um, afinal também têm a mesma essência, natureza, ou vc discorda?"

Todos os homens são um, no que tange a humanidade, a igreja de Cristo é una, pois são um em Cristo, embora sejam várias pessoas, a bíblia é clara nisso em Gálatas 2.28 - "Não há judeu nem grego; não há escravo nem livre; não há homem nem mulher; porque todos vós sois um em Cristo Jesus." O homem quando se casa com a mulher se torna um com ela também, pois "conhece" sua mulher, tornando um com ela em propósito. Então a bíblia está recheado de exemplos de unidade na multiplicidade.

"O mais interessante é que você consegui dar a sua interpretação a um texto bem claro como 1 coríntios 15:24-29, por isso "parabéns"."

Obrigado pelo elogio.

"Para raciocinar: Suponhamos que você trabalhe em uma grande empresa e tenha um cargo bem elevado, o mais importante na empresa, deixando você abaixo apenas do dono da empresa, aquele cujo o qual você ainda é sujeito, ou subordinado, lógico. Será que por ser da mesma natureza humana, faria de você o dono da empresa? Vocês dois seriam um?"

Aqui vc confundiu as coisas pq seu exemplo não ilustra o que vc quis dizer, pois ilustra somente o princípio de autoridade. Digamos que o dono da empresa seja o único que seja humano, o restante sejam bichos, como nessas histórias infantis. Qualquer um que se dissesse humano, seria automaticamente reconhecido como o dono da empresa, pois só haveria um humano na empresa. Nessa empresa ninguém poderia ser chamado de humano, pq ninguém seria humano, só o dono, e quem fosse chamado de humano, seria automaticamente o dono, entende? A bíblia é clara ao dizer que só existe um Deus, se Jesus é Deus e o Pai é Deus, então os dois são o mesmo Deus, pois não podem existir dois deuses ou três deuses, isso seria politeísmo, mas pode existir multiplicidade na unidade, e isso é trindade, cujo nome mais correto é Triunidade. E respondendo a sua última pergunta, se os dois homens fossem cristãos por exemplo, eles seriam um e iguais em Cristo Jesus e mesmo sendo iguais, um teria mais autoridade que o outro, não há incoerência alguma nisso.

Francisco Tourinho disse...

"Embora o nome de Jeová não apareça em 1 coríntios 15, Jesus foi bem, mais bem claro em afirmar que tinha alguém Superior a ele:"A seguir, o fim, quando ele entregar o Reino ao seu Deus e Pai, depois de ter reduzido a nada todo governo, toda autoridade e poder" 1 Cor 15:24.Em hipótese alguma Jesus diz ser esse mesmo Deus a quem ele entregará o Reino, seu "Deus e Pai"."

Primeiro, a palavra Jeová, sequer aparece no Novo Testamento, com exceção da forma abreviada "ya" de Aeluia, pelos simples fato de que a revelação neo-testamentária nos mostra que Javé é o nome de Deus, não só o nome do Pai, por isso quando se diz que o Pai é maior que Jesus, em ofício, não quer dizer que ele seja menor em Ser, embora quando humano, Jesus estava em uma situação bem peculiar, note o texto que vai explicar melhor ainda para vc tudo que eu disse até agora:

"nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo;
não olhe cada um somente para o que é seu, mas cada qual também para o que é dos outros.
Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus,
o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar,
mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens;
e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz."
Filipenses 2:3-8

Note o versículo três, ele fala sobre nós humanos, irmãos em Cristo, que embora todos sejamos iguais, devemos considerar os outros superiores a nós mesmos, aí ele faz a comparação com Cristo, que sendo igual a Deus, considerou Deus maior que ele, se humilhando, ou seja, o próprio Cristo foi quem assumiu essa posição de inferioridade, mas ele continua sendo igual, mas eu e vc sabemos que ninguém pode ser igual a Deus, então Jesus só pode ser Deus, e subsiste em multiplicidade na unidade. Olhe o bem o contexto e veja que Paulo compara Jesus e o Pai com os irmãos da igreja, e Paulo tbm diz em Gl 2.28 que são todos iguais, então Jesus é igual ao Pai, mas não é a mesma pessoa, consegue entender amigo? Mas como há um só Deus, então os dois são o mesmo Deus, só existe essa saída.


"Em hipótese alguma Jesus diz ser esse mesmo Deus a quem ele entregará o Reino, seu "Deus e Pai"."

Não há dificuldade nisso se vc entender o que eu já disse, Jesus jamais diria ser esse mesmo Deus, pq Paulo estava se referindo ao Pai como Deus naquele momento,(só lembrando que tanto o Pai, como o Filho, como o ES, podem ser chamados individualmente de Deus) e como estava falando da obra redentora, é normal que se haja a diferença em ofício, pois a diferença em ofício existe para salvar o homem, então está atrelada a obra redentora, a isso chamamos de Trindade econômica, que é a forma como Deus se organizou para salvar a humanidade, se não conseguir entender essa parte eu explico com calma, não tem problema. Então de fato, Jesus entrega ao Pai, pois é menor que Ele em ofício, mas é o mesmo Deus, pois como o próprio texto que mostrei de Fl 2.3-8 mostra que eles dois são iguais, a não ser que vc queira dizer que os irmãos da igreja não são iguais, contradizendo Gl 2.28. Aí fica com vc. Obrigado por sua visita. Deus te abençoe.

Adeilson Teixeira disse...

Tourinho o texto de João 14.28 NÃO DIZ:

1-que o pai é maior que Jesus em "ofício".
2- que o pai é maior que Jesus em "função".
3-que o pai é maior que Jesus "humano ou como homem".

Jesus disse simplesmente que o Pai era maior que ele, por isso ele iria voltar para o Pai. Lembra de um texto 1.coríntios 4.6. Nao vamos ir além do que está escrito. Poise acho que seria bom vc aplicar ele, pq o texto não diz nada de ofício ou função ou essência e etc.

Sobre homem e mulher Deus colocou o Homem como chefe ou cabeça da mulher, tanto que o homem foi feito primeiro do que a mulher.

Mais qual é a dificuldade de aceitar que o Pai é maior que jesus?(eu sei isso iria destruir a Trindade, mais Jesus fez isso ao dizer essas palavras) Jesus não mentiu ao dizer isso, quando ele disse isso é pq é a verdade. A questão tourinho é que NÃO IMPORTA qual seja a condição de Jesus se é como homem ou não, nao é essa a questão aqui!. O que de fato interessa "SÃO AS PALAVRAS DE JESUS" aquilo que nosso rei está dizendo, isso que importa, pois o texto é claro Jesus não disse nada de forma ou condição ou função. Então é as palavras de Cristo que importa, pois suas "PALAVRAS" NÃO MUDA pelo fato de sua condição!. Suas palavras são as mesma isso é o que importa!.

Jesus não fez essa comparação que vc usou, do homem com a mulher, e ele com Deus. Ele não fez essa analogia.

A mulher não é menor que o homem, ambos são iguais, só no arranjo de Deus, que Deus colocou o homem como chefe nada mais que isso.

Agora no caso de Jesus em João 14.28 é muito claro o que Jesus disse. O Pai é maior do que ele e pronto, dizer algo a mais disso ou contrário disso, é chamar Jesus de mentiroso.

Então por último aprende tourinho, que o texto não diz nada do que vc disse, não importa qual seja a condição ou ofício, o Pai é maior que Jesus. Simples assim
Obs (Não disse que sou testemunha de Jeová).
Jeuss wins

Francisco Tourinho disse...

"Tourinho o texto de João 14.28 NÃO DIZ:

1-que o pai é maior que Jesus em "ofício".
2- que o pai é maior que Jesus em "função".
3-que o pai é maior que Jesus "humano ou como homem"."

Eu não usei o texto de joão 14.28 para mostrar o que vc diz em suas premissas, e talvez esse seja o erro básico de seitas unicisas como as TJ´s e variantes, baseiam sua doutrina em um versículo só, isso nem pode acontecer, é contra as regras de hermenêutica fazer isso. Se a bíblia explica a bíblia, e nós vemos no texto de Filipenses 2:3-8 que Jesus e o Pai são comparados a dois irmãos na igreja, que são iguais em ontologia, mas podem ter uma hierarquia em ofício, então é óbvio que quando Jesus diz que o Pai é maior que ele, é em ofício, não em ontologia, é o que se entende olhando a bíblia como um todo, não um versículo isolado.

"Sobre homem e mulher Deus colocou o Homem como chefe ou cabeça da mulher, tanto que o homem foi feito primeiro do que a mulher. "

Isso prova que o homem é ontologicamente maior que a mulher? Não prova! Pelo contrário, mostrei pela própria bíblia em Gl 2.28 que diz que homem e mulher são iguais, no entanto, isso não impede do homem ser maior que o a mulher em ofício, esse raciocínio é tão claro na bíblia, que só não entende quem não quer de fato. Prove-me dentro as escrituras que o homem é maior que a mulher em ontologia, e sua tese estará correta, se não, o raciocínio permanece, Jesus é igual ao Pai em Ser, então segue-se logicamente que os dois são o mesmo Deus.

Francisco Tourinho disse...

Vc está usando toda a sua argumento baseada em cima de versículo somente, mas a bíblia interpreta a própria Bíblia, o mesmo Jesus que disse que o Pai é maior que ele tbm disse que Ele o pai são um, o mesmo que disse que o Pai é maior que ele, tbm disse que a mesma honra que dessem ao Pai, deveria ser dada a Ele tbm. O mesmo Jesus que o disse que o Pai é maior que ele, tbm disse que ele era o primeiro e o último, assim como Pai tbm o é, pode haver por acaso dois primeiros, ou dois últimos? Então, use a bíblia como um todo, não um versículo somente para basear sua tese. Parece que Jesus falou muito mais sobre igualdade com o Pai do que em relação de superioridade. Jesus wins! Seitas unicistas looser!

Anônimo disse...

João 1:1 no principio era o verbo, e o verbo estava com Deus(trindade) e o verbo era (a trindade) Deus. Me explica isso tourinho.

Francisco Tourinho disse...

Nem sempre a palavra Deus se refere à Trindade como um todo. Como sabemos disso? Através do seu claro contexto. O objetivo do texto aí não é declarar quem é Deus em Trindade, mas descrever quem é Verbo, o Verbo era Deus. O capítulo inteiro é sobre a identidade do Verbo, não sobre a identidade de Deus como Trindade. Jesus, o Pai e o ES são o mesmo Deus, podendo ser todos ou cada um chamado de Deus individualmente.

Deus o abençoe.

Anônimo disse...

Achei que a trindade não fosse composta por 3 Deuses.... Isso seria politeismo