8 de março de 2017

CALVINISMO e MOLINISMO: irmãos próximos?

A Confissão de Westminster (Seção III) declara que:

“Desde toda a eternidade, Deus, pelo muito sábio e santo conselho da sua própria vontade, ordenou livre e inalteravelmente tudo quanto acontece, porém de modo que nem Deus é o autor do pecado, nem violentada é a vontade da criatura, nem é tirada a liberdade ou contingência das causas secundárias, antes estabelecidas.”

Essa é a crença da doutrina Calvinista clássica. Interessantemente, diz WL Craig, "é exatamente nisso que também crer o que molinista!" (1) Então a diferença entre o molinista e o calvinista não está em suas crenças, mas na explicação de como conciliar os decretos de Deus com as ações livres dos homens. Roger Olson, renomado teólogo arminiano, diz que o molinismo está muito próximo do calvinismo(2), Reymond diz que: "indeterminismo humano exclui o conhecimento médio divino”(3) e novamente Olson, embora na contramão teológica de de Reymond, afirma igualmente que “o molinismo leva ao determinismo”(4)

Molina acreditava em uma Supercompreensão das essências, ou seja, que Deus conhecia tanto a pessoa, que saberia o que ela faria em determinadas circunstâncias, mas se Deus sabe infalivelmente o que a pessoa faz em determinada circunstâncias, isso nos leva diretamente ao determinismo, mas se Deus não sabe infalivelmente, então Deus tem um conhecimento falível, portanto, o discípulo de Molina não tem para onde correr, se sai do fogo corre para a frigideira. 

Assim, eu também concordo com esses autores, molinismo, se assumir a infalibilidade do conhecimento de Deus através supercompreensão, ele se torna determinismo, e está muito mais próximo do calvinismo do que o arminianismo, mas a pergunta feita ao molinista é: pode haver liberdade libertária no determinismo? Ou, pode haver conhecimento infalível sem o determinismo?


Referências

1 - CRAIG, W.L. Molinismo vs. Calvinismo: Preocupado com os Calvinistas. Disponível em: http://www.reasonablefaith.org/portuguese/Molinismo-vs-Calvinismo. Acesso em 08/03/2017
2 - OLSON, R. O Teísmo Aberto é um tipo de Arminianismo?
3 - REYMOND, R. L. A new systematic theology of the christian faith. Nashville: Thomas Nelson, 2011. pag 189.
4 - OLSON, R. Teologia arminiana: mitos e realidades. Tradução de Wellington Carvalho Mariano. São Paulo: Reflexão, 2013. pag 255

Por Francisco Tourinho